Fases da Lava Jato – XLI a XLIV

            Avançaremos, neste texto, a mais quatro ações da Operação Lava Jato, vamos abordar assuntos em torno de aquisição por parte da Petrobrás no continente africano, prisão de um ex–presidente da petrolífera e do Banco do Brasil e, também, da detenção de um ex-líder dos governos Lula e Dilma suspeito de influenciar em contratos com a Petrobrás. Reparem que a Operação Lava Jato continua firme nas investigações dos atos impróprios praticados pelas mais altas autoridades brasileiras.

Quadragésima primeira fase: Poço seco.

“A Polícia Federal investigou operações financeiras feitas a partir da aquisição, pela Petrobrás, de direitos de exploração de petróleo em Benin (África), foram presos temporariamente o ex-gerente Pedro Augusto Cortes Xavier Bastos e o dono do BVA José Augusto Ferreira dos Santos, suspeitos de receber mais US$ 5,5 milhões de dólares em propinas. O empresário Álvaro Gualberto Teixeira de Mello e a filha de Jorge Luz foram outros alvos”.

Fonte: Site O Globo.

Comentário: Desta vez a Polícia Federal direcionou seus olhos a compra de direitos de exploração de campos de petróleo no continente africano, vejam só, atravessaram um oceano inteiro para praticar atos de corrupção. As denúncias giram em torno de várias pessoas das classes mais abastadas da sociedade, a quantia de recursos supostamente pagos indevidamente extrapola os milhões de dólares.

Quadragésima segunda fase: Cobra.

“A Polícia Federal deflagrou a 42ª fase da Operação Lava Jato denominada de Cobra. A ação policial tem com alvo principal, a investigação de ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobrás, bem como de pessoas a ele associadas pela prática de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, dentre outros. Segundo as investigações realizadas, o ex-presidente das duas instituições mencionadas e pessoas a ele relacionadas teriam solicitado vantagem indevida em razão dos cargos exercidos para que o Grupo Odebrecht não viesse a ser prejudicado em futuras contratações da Petrobrás. Há indícios de pagamento em espécie de ao menos de R$ 3 milhões de reais”.

Fonte: Site da Polícia Federal.

Comentário: Mais uma vez o Grupo Odebrecht está no centro das investigações da Operação Lava Jato nesta 42ª fase. Há fortes indícios de participação do ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobrás no esquema criminoso com a prática de vários crimes. Percebe-se que tais contratações realizadas pela Petrobrás estavam manchadas por irregularidades descobertas apenas agora.

Quadragésima terceira fase: Sem fronteiras.

“Em 18.08.2017 a Polícia Federal deflagrou a 43ª ação da Operação Lava Jato, a fase mirou a relação de executivos da Petrobrás com grupos estrangeiros por informações privilegiadas e favorecimento em contratos”.

Fonte: Site O Globo.

Comentário: A Polícia Federal, nesta fase, investiga atuação de funcionários da Petrobrás com empresas de fora do Brasil, novamente com contratos milionários como é o sistema de corrupção radicado no país. Sinceramente perdi as contas de quantas vezes mencionei as palavras corrupção e Petrobrás em todos os textos, tenho a impressão que essas palavras se atrelaram.

 Quadragésima quarta fase: Abate.

“Na 44ª fase da Operação Lava Jato houve a prisão do ex-líder dos governos Lula e Dilma, Cândido Vacarezza, suspeito de influenciar em contratos da Petrobrás com uma empresa estrangeira. Executivos da estatal, agentes públicos e políticos teriam recebido propina”.

Fonte: Site O Globo.

Comentário: Notamos que nesta ação executada pela Polícia Federal, mais um político está supostamente envolvido em esquema de recebimento de propina. Vejam, também, que novamente partem de contratos sub-reptícios da Petrobrás.

            Comparecemos, enfim, a ilustrar quarenta e quatro ações da Operação Lava Jato, todo esse tempo de pesquisas, entendimentos, discussões acaloradas, não me furtei a nenhum assunto, pois tenho a plena convicção da importância do trabalho concretizado. O articulista que elabora esses textos tem a certeza que a Lava Jato é uma das poucas notícias boas que aconteceram no país nas últimas décadas.

Continuaremos a mencionar NOTAS sobre a situação condenável que o Estado Brasileiro atravessa:

Nota XIX – Qual a garantia que a economia no Brasil irá se recuperar? Respondo NENHUMA, por quê? Não há uma definição clara quanto aos rumos econômicos que o governo federal pretende executar para os próximos meses até as eleições em outubro de 2018. Resta saber se a população brasileira continuará a agonizar dia após dia, semana após semana, mês após mês até que alguma solução seja encontrada.

Nota XX – Vamos falar de violência no Brasil? Um momento! Não é violência e sim guerra, massacre, carnificina da população brasileira. O que os governos estão fazendo na prática? Nada, absolutamente nada. Todos os dias assistimos notícias de variadas formas de violência extrema, são pessoas comuns, policiais, estudantes sendo mortos minuto a minuto no país. Quem irá tomar uma atitude de imediato? Não queremos que o Brasil se transforme em uma segunda Venezuela.

A corrupção é o pior câncer que existe.

Até a próxima.

You may also like

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *