O brasileiro sabe votar?

            Com certeza NÃO e, dificilmente essa situação mudará a curto ou médio prazo. Desde a redemocratização do país em 1985 com a eleição indireta de Tancredo Neves os brasileiros passaram a votar na forma direta, isso aconteceu em 1989 elegendo para a Presidência da República o Sr. Fernando Collor de Melo que permaneceu em seu mandato entre 15 de março de 1990 a 29 de dezembro de 1992 quando o mesmo sofreu afastamento por meio de um processo de impeachment. Apenas a título de conhecimento, apresentaremos os presidentes que foram eleitos, diretamente, através dos votos dos brasileiros após o impedimento do ex-presidente Collor:

I – 1994 a 1998 – eleição do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso;

II – 1999 a 2002 – reeleição do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso;

III – 2003 a 2006 – eleição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva;

IV – 2007 a 2010 – reeleição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva;

V – 2011 a 2014 – eleição da ex-presidente Dilma Rousseff;

VI – 2015 a 2016 – reeleição da ex-presidente Dilma Rousseff;

VII – Processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff se deu concretizado em agosto de 2016.

            Após essa breve explanação a respeito dos Presidentes da República eleitos, democraticamente, após 21 (vinte e um) anos de regime militar, trazemos a luz dos fatos todo o processo de votação realizado no Brasil desde a época da redemocratização.

            Nós, brasileiros, nas primeiras eleições pós-ditadura militar votamos da forma manual, ou seja, em cédulas, apenas no pleito do ano 2000 que todos os eleitores passaram a utilizar o meio eletrônico para eleger seus representantes. Não podemos negar que as urnas eletrônicas agilizaram o processo, mas questiono: Será que todo esse processo é seguro? Não seria melhor que voltássemos à metodologia anterior para que se evitem posteriores questionamentos dos derrotados ou de parte da sociedade brasileira? É um ponto a se pensar bastante.

            Em quase trinta anos de democracia tivemos apenas cinco Presidentes da República diferentes, creio que seja muito pouco para quem deseja renovação no cargo mais elevado do país. Tenho 100% de certeza que o instituto da reeleição está ultrapassado, por quê? É estatística, os governos sempre fizeram menos pela população no segundo mandato, proponho: acabar com a reeleição e aumentar o mandato de 04 (quatro) para 05 (cinco) anos a partir do próximo pleito.

            E o que dizer dos políticos e os partido a qual estão filiados. Simples definir essa questão: é uma verdadeira bagunça que ninguém entende absolutamente nada. São 35 (trinta e cinco) siglas registradas pelo Tribunal Superior Eleitoral – TSE e mais de 64.000 (sessenta e quatro mil) políticos eleitos, isso é um absurdo sem tamanho!

            Com todos esses dados anteriormente expostos neste artigo, voltamos à pergunta inicial, o brasileiro sabe votar? Ressalto que NÃO, porque até hoje não elegemos alguém que realmente soubesse atender aos anseios da sociedade. Vivemos em uma situação tão caótica que dificilmente teremos um governante que possa alterar esse cenário de calamidade, há no Brasil muita venda ou troca de voto por dinheiro ou qualquer “benesse”, boa parte da sociedade ainda não tomou consciência que negociar o voto reverterá em falta de serviços públicos decentes à população.

Para um breve raciocínio de todos os leitores, afirmamos:

I – Político que compra voto NÃO pode ser eleito, tem que ser levado à justiça;

II – Político que utiliza de caixa 02, ou seja, dinheiro oculto, não contabilizado, NÃO pode ser eleito, tem que ser levado à justiça;

III – Eleitor que vende ou troca o voto, merece um político CORRUPTO.

            O que fazer em 2018? Sou um indivíduo cético, ou seja, que duvida de tudo, descrente e, nesse assunto estou três vezes mais incrédulo. Quem serão os candidatos à Presidência da República pós o marco da Operação Lava Jato? Neste momento está extremamente complicado de saber, as águas estão turvas no cenário eleitoral. Tenho convicção que teremos dois sentimentos nas eleições em 2018, indignação e revolta, mas ainda resta, neste articulista, 1% (um por cento) de confiança que os brasileiros votarão, no mínimo de forma decorosa, essa é a minha esperança.  

    

 A corrupção é o pior câncer que existe.

Até breve.

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *