Prêmios aos inadimplentes.

         Começo este artigo, manifestando a minha profunda perplexidade com os benefícios que são concedidos, todos os finais de anos, aos maus pagadores de impostos em todo o país, principalmente, nos estados e municípios mais populosos, mas o que realmente acontece? Os administradores do dinheiro público tentam, de forma insistente, cansativa e até um certo ponto inócua, “recuperar” recursos provenientes de impostos que não são pagos, no tempo certo, por inadimplentes. Mas todo esse processo de tentativa de resgatar esses recursos praticamente perdidos é injusto, porque beneficia, com amortização de juros e multas e parcelamento a perder de vista os maus pagadores em claro detrimento a boa parte da população que pagam seus impostos de forma correta e dentro dos prazos determinados.

         Citamos um exemplo bem “famoso” dessa situação, é o caso do REFIS que, em termos simples, é um programa de refinanciamento de dívidas tributárias. Trata-se de grande aposta dos governos para gerar receitas e descongelar despesas, esse refinanciamento gerou, e ainda gera, grandes discussões entre sociedade, governo e congressistas. Essa espécie de benefício é direcionada as pessoas jurídicas que tem a intenção, vejam bem, falam que estão empenhadas em pagar suas dívidas, mas será que acontece isso mesmo ou é apenas uma “cortina de fumaça” para poder protelar, por mais um tempo, o pagamento dos seus débitos?

         Fora essa “grande chance injusta” que os governos e prefeituras dão as empresas, temos os parcelamentos que os gestores públicos promovem a parte da população devedora para que possam tentar pagar seus débitos, mas observem que esta ação não surtiu os resultados esperados, pois se não pagaram por onze meses do ano, não é no último mês que seria diferente.

Entramos nos questionamentos:

Qual o real objetivo desses refinanciamentos?

Por que parcelar esses débitos apenas nos finais dos anos?

Por que a população que paga seus débitos corretamente não é beneficiada?

Por que não vemos punições a esses maus pagadores?

Quando os governos utilizarão critérios justos com a sociedade?

         O fato é que todos os meses de novembro e dezembro de cada ano, constato nas programações televisionadas, campanhas publicitárias clamando à população em débitos com suas obrigações para acertarem suas contas, mas fiquem sabendo que nem todos estão interessados em quitar dívidas com a administração pública.

         Neste instante do artigo, quero falar, diretamente, com os governos estaduais e municipais que propõem conceder tais benefícios a esta parcela da população devedora, enquanto os senhores gastam tempo e dinheiro com publicidade, sistemas e recursos humanos para operacionalizar essas ações, a maioria dos devedores estão usando esse dinheiro para quitação de débitos com restaurantes de alto padrão, compras em lojas “caras”, adquirindo mansões, carros de luxo e muito mais. Infelizmente digo aos governos que todo esse esforço é ineficaz.

A corrupção é o pior câncer que existe.

Até à próxima.

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *