O que dizer de nossas atuais atitudes.

 

            Neste octagésimo artigo venho realizar um balanço de nossas atitudes nesses últimos tempos de pandemia da COVID-19 e da crise política presenciada em nosso país. Para início de conversa, digo que a maioria da população brasileira está dando um péssimo exemplo no enfrentamento da pandemia e, também, da crise política, o descaso com a saúde pública contra o vírus é de gerar medo e revolta e, na política, vemos uma total falta de sintonia dos entes federados. A cada dia que passa, nos surpreendemos mais com as atitudes de nossos governantes e, infelizmente da sociedade brasileira. A situação é tão crítica que seja a ser estarrecedora, o Brasil está no limite do precipício da insensatez política e sanitária.

 

Vejamos alguns exemplos de atitudes vergonhosas tomadas nesses últimos tempos no caso da pandemia da COVID-19:

 

I – Falta de isolamento;

II – Falta de responsabilidade com a doença;

III – População descrente com a doença;

IV – Sociedade pondo em dúvida a veracidade dos fatos;

V – Quase nenhum comprometimento do governo federal.

 

No caso da crise sociopolítico-econômico:

 

I – Medidas ineficazes na economia;

II – Política desastrosa entre os poderes constituídos;

III – Pouco controle social;

IV – Falta de planejamento;

V – Desorganização total na articulação entre os Municípios, Estados e a União.

 

            Esses são apenas alguns exemplos de atitudes que pouco ajudam no enfrentamento da crise sanitária e política que assola o país desde o início do ano e que os gestores não estão sabendo conduzir a situação brasileira.

 

            O fato é que o Brasil, com já havia mencionado, está à beira de um penhasco bem profundo.

 

A corrupção e a incompetência são as doenças que matam o Brasil

 

Até a próxima!

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *